ELE É “O CARA”

Wagner Moura é o cara. Verdade seja dita, “Waguinho”, como eu gosto de chamá-lo, tornou-se um dos atores mais respeitados e bem quistos do país. Sem procurar saber muito sobre ele, eu posso descrever uma tragetória de grande valor. Ele saiu da Bahia em turnê de uma peça – “A Máquina” – que também tinha no elenco o ator Lázaro Ramos. Essa peça até virou filme, mas enfim, na época em que o espetáculo estava no Rio, ele foi visto e apreciado por público e crítica. Waguinho permaneceu na Babilônia Carioca e em algum tempo foi sendo requisitado para diversos filmes e aí não parou – “Abril Despedaçado”, “Caminho das Nuvens” “Deus é Brasileiro”, “Carandiru”, “Cidade Baixa”.

wagner-aO fato é que Waguinho veio pra TV, continuou no teatro e cresceu no cinema. O Capitão Nascimento virou um fenômeno pop da cultura brasileira e seu personagem da telinha, o Olavo, transformou seu rosto num ponto turístico dos olhares do grande público. Resultado: fama! “O cara” fez Hamlet, a peça foi um sucesso e recentemente eu li na revista Exame que o cachê de Waguinho para campanhas publicitária coloca o moço, com o perdão do trocadilho, na tropa de elite dos cachês nacionais: US$ 375 mil. É, meu caro. Isso mesmo. Se me perguntarem, eu digo que vale cada centavo, pois Wagner Moura é uma mistura rara de talento comprometido e celebridade bem resolvida. Waguinho é o cara. Waguinho é maaara!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s