GLS

BARRA-CONTOS

Não tinha nada contra gays. E apesar de não confessar, por alguma razão tinha orgulho disso. Gostava de saber que tinha a cabeça mais aberta do que a maioria dos amigos. Pra falar a verdade, nenhum dos seus amigos era gay, e talvez por isso é que naquele dia quando sua cunhada avisou à irmã que era aniversário do Leo, ele tenha tido a sensação de que seria uma boa oportunidade de provar a si mesmo que ele não tinha preconceitos. Sua namorada estava no quarto estudando pra mais uma prova – Direito Administrativo, ou algo assim. Ele estava lendo na cama. Quando a cunhada fechou a porta, quis saber:

– Nós vamos na casa do Leo?

– Acho que sim… – ela disse sem levantar os olhos da apostila.

– Temos que levar presente?

– Não. Não precisa.

Continuaram lendo.

– O namorado da Fernanda vai?

– Acho que não. Ele tem plantão hoje.

Não estava mais concentrado.

– E eu vou sozinho?

– Como ‘sozinho’? Eu vou, a Nanda vai.

– Sei…

Ela parou de ler e se ajeitou na cadeira.

– Que foi?

– Que foi o quê? Nada…

– Você não quer ir?

– Não. Não é isso. É claro que eu quero ir…

– E por que tá me perguntando tanto?

– Não, por nada. É que…

– Diga.

– Sei lá…Talvez fosse melhor eu levar alguém…

– Como assim ‘levar alguém’?

– Sei lá… Um amigo.

– Hã! Pra quê?

– Aniversário do Leo… Vai ter muita gente…

– Você tá preocupado por que os amigos dele são gays?

– Não. Claro que não.

– Então?

– É que…sei lá… Sobre o quê eu vou conversar com esses caras?

– Ora, sobre o que você conversaria com qualquer um.

– Mas não é a mesma coisa…

– Você tá achando o quê? Que eles vão te agarrar?

– Eles podem fazer isso???

– Claro que não.

– Ufa!

– Pare com isso. – e voltou às apostilas – Que preconceito idiota.

– Preconceito? Eu? Claro que não! É que eu nunca fui a um lugar onde só estivessem gays.

– Não fique nervoso. Vai ser o aniversário do Leo e do Marquinhos, juntos.

– Então vai ter muita gente…

– Você não gosta do Marquinhos?

– Gosto, ele é um cara inteligente, culto…

– Então…

– É que…

– Psssiu! Vai ser ótimo. Nada vai acontecer. Fique tranqüilo.

Ficou pensando naquilo. Será que ele tinha preconceitos? Não pode ser. Logo ele, um cara de tão boas idéias. Já tinha saído outra vezes com o Leo e com o Marquinhos. Eram dois caras legais. O Leo era mais assanhando, mas o Marquinhos era um cara sério, agradável. Já tinha viajado bastante, sabia das coisas. Por que ele estava tão nervoso então?

 

PARTE 2 | PARTE 3 BARRA-inferior-NOVA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s